1º CINE CARAMELO

 

O Cine Caramelo - Festival Infantojuvenil de Cinema de Porto Alegre, foi gestado ao longo de 2010 e 2011, tendo sido contemplado em 2012 no Edital SEDAC 2/2012 - Desenvolvimento da Economia da Cultura Pró-cultura RS FAC para Sociedade Civil. Isso garantiu a realização da sua primeira edição de 11 a 20 de junho de 2013 no Cine Santander e em quatro escolas públicas de diferentes bairros e regiões de Porto Alegre: EMEF Martim Aranha (Santa Teresa), EEEF Genoveva da Costa Bernardes (Lami), EMEF Wenceslau Fontoura (Mario Quintana) e EMEF Grande Oriente do RS (Rubem Berta).

 

O Festival iniciou suas ações através das itinerâncias, realizando atividades durante um dia em cada escola. No período da manhã e tarde foram exibidos filmes e realizadas oficinas para alunos da faixa etária de 7 a 14 anos. No período da noite, alunos da Educação de Jovens e Adultos - EJA, assistiram documentários. Os filmes selecionados para as séries iniciais do Ensino Fundamental, foram Cocoricó conta clássicos, que traz a turma do Cocoricó reinventando clássicos infantis, e BRichos - bichos brasileiros, que narra as aventuras de três amigos - um jaguar, um quati e um tamanduá, que vivem na Vila dos Brichos, um local que reúne diversas espécies da fauna brasileira. Os alunos do EJA, assistiram um programa composto por dois documentários sobre a vida, a obra e contribuição política e social de dois importantes ativistas gaúchos, o poeta e militante negro Oliveira Silveira - um dos idealizadores do Dia Nacional da Consciência Negra, e o pensador e ambientalista José Lutzemberger, através dos filmes SOU e Lutzenberger for ever Gaia. Na EMEF Grande Oriente do RS, houve debate com os alunos após a sessão, tendo a presença da diretora do documentário SOU e de uma professora de história da escola.

 

Cada escola recebeu também uma das oficinas do festival: Animação em flipbook, ministrada pelo cartunista e animador Lancast Mota, tendo como objetivo desmistificar a animação através de uma técnica simples, barata e acessível, que demonstra o princípio da animação; a oficina de Contação de histórias, ministrada pela atriz Ilaine Melo e a educadora Ane Meyer, com o propósito de envolver os alunos no universo da narrativa oral e da criação textual de histórias; e a oficina de Mediação de conflitos para crianças, ministrada pela mediadora e monja Zen budista Isshin Havens, que buscou desenvolver habilidades de comunicação, especialmente a "escuta ativa", além da capacidade de liderança e de resolução de conflitos entre os colegas de classe.

 

De 14 a 20 de junho, o festival aconteceu no Cine Santander com três sessões diárias e gratuitas abertas ao público e ao agendamento de escolas. Diversas escolas, públicas e particulares, participaram das sessões. Vale um destaque especial para a participação da Escola Municipal Infantil da Vila Santa Rosa (Rubem Berta), através da iniciativa da professora Maria de Lurdes, que nos procurou interessada em levar ao Cine Caramelo duas turmas de Berçário, com idades entre 8 meses a 2 anos. Tivemos a grande satisfação de receber 22 bebês da escola da professora Lurdes para assistirem a sessão do filme Cocoricó uma aventura na cidade. Graças à dedicação da professora, que também conseguiu viabilizar o transporte, os bebês foram acompanhados de educadoras e mães, e puderam apreciar a arte do cinema.

 

No Cine Santander, durante o dia, os filmes trouxeram aventura e diversão para o público infanto-juvenil, ao mesmo tempo que abriam caminho para a reflexão acerca de temas como diversidade cultural, uso consciente da tecnologia, consciência ecológica, valorização da amizade, afeto e amor à família. Entre os títulos, 31 minutos, Eu e meu guarda-chuva, dois filmes da série Cocoricó, da TV Cultura, o lançamento Meu pé de laranja lima, Garoto cósmico, BRichos e o clássico O cavalinho azul, adaptação da obra de Maria Clara Machado realizada pelo diretor Eduardo Escorel em 1984; além de cinco curtas produzidos por crianças de 4 a 6 anos da Escola de Educação Infantil Baby House em parceria com a Academia de Cinema de Porto Alegre. A programação de filmes infanto-juvenil contou ainda com uma mostra especial do lendário diretor de animês Hayao Miyazaki, exibindo os cultuados Meu vizinho Totoro, Princesa Mononoke e Nausicaä do Vale do Vento. A exibicão destes filmes foi feita através de cópias em DVD trazidas de Portugal, já que nenhum dos títulos tem distribuição no Brasil. No final de semana, foi realizada uma sessão em parceria com o projeto CineMaterna, para mães com bebês de até 18 meses. A sala foi especialmente preparada para acolher os bebês com todo o conforto, contando com trocador de fraldas equipado com todo o material higiênico necessário, tapete recreativo, regulagem especial da luz e do ar-condicionado da sala de cinema, além de duas monitoras que ficaram a disposição das mães para ajudar a cuidar dos bebês. O filme escolhido para esta sessão foi o documentário observativo Bebês, que acompanha intimamente o nascimento e o primeiro ano de vida de quatro bebês de quatro países e culturas distintas: Namíbia, Mongólia, Japão e EUA.

 

Nas sessões da noite, a programação foi dirigida a pais, educadores, estudantes e demais interessados na formação e desenvolvimento de crianças e adolescentes. As sessões dos filmes foram seguidas de debates com profissionais de diferentes áreas que, junto ao público, puderam ampliar as questões trazidas pelos títulos e contextualiza-las no âmbito do Brasil e Rio Grande do Sul.

 

Consumo, infância e a falta de regulamentação no Brasil da publicidade dirigida para o público infanto-juvenil foi o tema trazido pelo documentário Criança, a alma do negócio, que teve sessão comentada pela psicopedagoga Elaine Milmann, pela professora e comunicadora Saraí Schmidt, coordenadora do projeto Nosso bairro em pauta, realizado em escolas públicas da cidade de Novo Hamburgo, o qual propõe discussões sobre consumo e a produção de jornais comunitários e escolares. Tivemos também a importante exibição do curta-metragem Luz, câmera, educAção - registro das atividades desenvolvidas pelo Programa de Alfabetização Audiovisual da Prefeitura de Porto Alegre ao longo de 2012 e a participação da coordenadora educativa do Programa, Andreia Todeschini Merlo, e Juliana Costa da equipe de produção. A possibilidade de apresentar ao público estes projetos, que buscam estimular a consciência e ação crítica em relação a mídia, foi fundamental num sentido de apresentar um contraponto ao panorama apresentado pelo documentário Criança a Alma do Negócio, mostrando que é através de projetos com este perfil que conseguiremos garantir o desenvolvimento de crianças e jovens livres do comportamento de consumo disseminado pelas mídias de massa ao mesmo tempo que contribuindo para a formação de cidadãos mais preparados para decodificar conteúdos audiovisuais.

 

Obesidade infantil, foi o tema trazido pelo documentário Muito além do peso, que discute por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam, e como este tema envolve a indústria, a publicidade, o governo e a sociedade de modo geral. Para comentar a sessão esteve presente a nutróloga, professora e chefe do ambulatório de Obesidade Infantil do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Dra Elza de Mello. Entre o público presente, estiveram representantes do projeto Porto Alegre Mais Leve, de autoria do vereador João Derly, aprovado posteriormente, em outubro de 2013, na Câmara Municipal de Porto Alegre. O projeto tem como proposta implementar ações para a redução de peso e o combate à obesidade adulta e infantil através de políticas que incentivem à boa alimentação e a prática de esportes. Segundo dados transmitidos pelos representantes do projeto, atualmente em Porto Alegre 75% da população, cerca de 1 milhão de pessoas, está com sobrepeso, sendo 20% em nível de obesidade. Foram confeccionadas cópias em DVD do documentário Muito além do peso e distribuídas para o público presente na sessão, a fim de ampliar o debate sobre esta questão.

 

O filme Bullying, realizado durante o ano escolar de 2009/2010 nos Estados Unidos, mostra a forma de violência mais comum entre os jovens daquele país, como essa violência atingiu cinco crianças e como suas famílias lidaram com a situação. O filme coloca em pauta um problema cada vez mais comum e que transcende fronteiras geográficas, raciais, étnicas e econômicas. Após a exibição do filme foi realizado um debate com o psicanalista Otávio Augusto Winck Nunes e a Monja Isshin Havens (formada em Mediação de Conflitos). Um dos destaques da conversa foi a prática da meditação desvinculada de aspectos filosóficos ou religiosos, apresentada como um trabalho possível de ser desenvolvido nas escolas, com o objetivo de reduzir os índices de violência e contribuir para que crianças e jovens tenham um melhor aproveitamento do ensino, desenvolvimento do potencial criativo e bem estar. Um exemplo trazido foi a iniciativa da Fundação David Lynch, vinculada ao diretor de cinema, que vem desenvolvendo programas de meditação em escolas de diversos países, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da educação com base na consciência e paz no mundo. Algumas escolas de Belo Horizonte aderiram a prática e em 2008 deram um belo exemplo quando cerca de 5mil alunos, praticantes de meditação, se encontraram e meditaram juntos com o diretor David Lynch, na época em viagem pelo Brasil para lançar seu livro Em águas profundas - criatividade e meditação.

           

Um dos maiores clássicos do diretor Hayao Myiazaki, o filme Princesa Mononoke, também ganhou uma sessão comentada pelo diretor e animador gaúcho José Maia e por Joaquim Monteiro, psicólogo e doutor em Estudos Budistas pela Universidade de Kamazawa, Japão. O filme, que levou 16 anos para ser finalizado, custou 23 milhões de dólares e por algum tempo foi a maior bilheteria da história do Japão, é considerado uma obra-prima do animê e conta a história de Ashitaka, um jovem guerreiro que é amaldiçoado ao defender sua aldeia de um demônio criado pela violência humana. Ele viaja até uma outra aldeia na esperança de compreender a maldição que lhe fora posta. Nas terras onde chega, se depara com a luta entre humanos e os deuses da floresta, e a princesa Mononoke, que fora criada por lobos. Juntos, eles fazem de tudo para terminar com a guerra. A conversa com o público foi muito enriquecedora, trazendo um panorama sobre a história e a cultura japonesas, uma reflexão sobre o fenômeno dos animês no Oriente e no Ocidente e uma imersão no universo único e particular do diretor Hayao Myiazaki.

 

O programa sobre políticas públicas assistenciais para menores, composto pelo filme O contador de histórias, seguido de debate com o pedagogo Gabriel de Andrade Junqueira Filho, foi cancelado em função das manifestações populares ocorridas em junho de 2013 em todo Brasil. Por motivos de segurança o Santander Cultural optou em encerrar as atividades do espaço mais cedo, inviabilizando a realização desta sessão programada para as 19h.

 

Durante duas semanas de atividades gratuitas, foram exibidos 24 filmes entre curtas e longas-metragens, sendo 19 deles títulos nacionais, realizadas três oficinas e cinco debates. O objetivo do Cine Caramelo é trazer diversão e informação para crianças e adultos, apresentando conteúdos que transmitam bons valores, incentive a criação e expressão artística e promovam a autoestima das crianças e jovens, mostrando que é possível abrir as portas para imaginação sem abrir mão da nossa identidade. Através das oficinas pretende-se ainda contribuir para uma tomada de consciência nos diversos segmentos da vida dos participantes, criando novas atitudes, gerando novas consciências, propiciando um conhecimento diferenciado do habitual. Desta forma acreditamos que estaremos contribuindo para um processo de formação ética, cultural e educacional, com destaque para o segmento da alfabetização audiovisual. O diferencial do projeto é também a programação destinada para adultos sobre temas importantes da formação infanto-juvenil, seja do indivíduo ou da coletividade. Outra parte relevante é a realização das itinerâncias nas escolas, proporcionando difusão e circulação de bens culturais além de contribuir para a formação de público para o cinema.

 

Equipe

Curadoria e direção geral: Andreia Vigo

Colaboração curadoria: Juarez Compertino

Coordenação administrativa e financeira: Carmem Curval​

Coordenação das atividades nas escolas: Nadia Mancuso

Assistência de produção e comunicação: Marcela Brandes

Assessoria de imprensa: Lu Thomé

Design: Guilherme Moojen

Fotografia: Kin Viana

 

Cine Santander

Rua 7 de Setembro, 1028 - Centro

-

-

14 a 20 de junho

COCÓRICO CONTA CLÁSSICOS

de Fernando Gomes, animação, 2012, 76 min

A turma da fazenda mais divertida do Brasil resolveu interpretar alguns clássicos infantis para a criançada. Como se isso não bastasse, Júlio e seus amigos ainda deram uma leve mexida nas histórias, deixando-as  à maneira da turma: Cocoricunda, Rapunzilica, Os cigarras e as formigas, Belalilica e Ditofera, João e Mariba e O Gaitista de Quixeramobim.​

+

Curta OS GAROTOS DA ILHA

de Christiano Gomes e crianças da escola Baby House, ficção, 2012, 4 min

Garotos criados por animais em uma ilha que pensavam ser deserta descobrem uns aos outros e aprendem a conviver em uma ilha que deixa de ser deserta.​

31 MINUTOS

de Álvaro Dias e Pedro Peirano, 2008, 87 min

Juanín, o último de sua espécie, é o produtor do noticiário de Tv “31 Minutos”. Sua raridade desperta o interesse da malvada Cachirula, uma colecionadora de animais em extinção. Com a ajuda de Tio Careca, Cachirula captura Juanín. Para resgatar seu companheiro de trabalho, a atrapalhada equipe do programa “31 Minutos” inicia uma busca alucinada pelo seu amigo. O filme é uma aventura sobre a importância da amizade e o valor da liberdade.

+

AS BORBOLETINHAS PERDIDAS

de Christiano Gomes e crianças da escola Baby House, ficção, 2012, 5 min

A irmã mais velha engana as pequeninas borboletas em uma trilha que as levavam para o “se perder”. Em uma fábula bem estruturada as crianças apresentam este roteiro em que roteirizam e interpretam sua história.

BRICHOS

de Paulo Munhoz, animação, 2007, 77 min

O filme acompanha as aventuras de um trio de animais adolescente, Tales, Jairzinho e Bandeira, (um jaguar, um quati e um tamanduá). Eles moram na Vila dos Brichos, com diversas espécies da fauna brasileira. O trio resolve participar de um campeonato de videogame e acaba descobrindo a verdade sobre o passado da Vila e de seus moradores, além de um segredo existente no interior da floresta. BRICHOS - Bichos Brasileiros - resgata os nossos valores e abre as portas de nossa imaginação, sem que para isso precisemos abrir mão do que nos é mais importante: nossa identidade.

+

O CORAÇÃO DO MENINO

de Christiano Gomes e crianças da escola Baby House, ficção, 2012, 2 min

Os amigos decidem ir ao parque de diversões. Ao chegar na montanha russa um deles ficou com muito medo, seu coração bateu forte e se abriu mostrando os habitantes que moravam dentro do coração do menino.

MEU PÉ DE LARANJA LIMA

de Marcos Bernstein, ficção, 2012, 99 min

Zezé é um garoto de 8 anos que costuma ter longas conversas com um pé de laranja lima que fica no quintal de sua casa.

COCORICÓ AS AVENTURAS NA CIDADE

de Fernando Gomes, animação, 2009, 60 min

Depois de 13 anos na Tv Cultura, a turma do Cocoricó chegou ao cinema, num filme com cinco episódios. Júlio vai passar férias na casa de seu primo João, na cidade grande, junto com o cavalo Alípio, a galinha Zazá e a galinha Lili. Juntos, conhecem lugares e pessoas diferentes, como punks e emos.

EU E MEU GUARDACHUVA

de Toni Vanzolini, ficção, 2010, 78 min

Eugênio, um menino de 11 anos, e seu melhor amigo, Cebola, envolvem-se em aventuras inimagináveis para resgatar Frida, sua paixão e colega de escola, que foi sequestrada pelo fantasma do temível Barão Von Staffen. Nesta odisséia, Eugênio contará com a ajuda de um guarda-chuva herdado de seu saudoso avô, que lhe dará a coragem necessária para seguir em frente. O duelo final entre o Barão e Eugênio decidirá o destino de Frida e de todos eles.

O GAROTO CÓSMICO

de Alê Abreu, animação, 2008, 75 min

Cósmico, Luna e Maninho são crianças de um mundo futurista, onde suas vidas são programadas. Certa noite, buscando mais pontos para obterem um bônus na escola, os três perdem-se no espaço e descobrem um universo infinito, esquecido num pequeno circo. Depois de muitas brincadeiras, o mundo da programação envia um representante para resgatá-los. É hora de decidirem seus caminhos. Com dublagem de Vanessa da Mata, Arnaldo Antunes e Raul Cortez.

+

O PRÍNCIPE QUE NUNCA VEM

de Christiano Gomes e crianças da escola Baby House, ficção, 2012, 3 min

As princesas aguardam esperançosas pelo príncipe que de fato, nunca vem. Num reino de muita magia entre dinossauros e castelos as crianças se deliciam ao criar e interpretar este roteiro.

O CAVALINHO AZUL

de Eduardo Escorel, animação, 1994, 84 min

Clássico do cinema brasileiro infanto-juvenil, o filme é uma adaptação da obra de Maria Clara Machado. Vicente quer recuperar seu cavalinho que foi vendido por seus pais em troca de mantimentos. Aos olhos de seus pais, um velho e feio pangaré marron, mas aos olhos de Vicente, um lindo cavalo azul. Vicente vai atrás de seu cavalo e vive muitas aventuras. No caminho descobre um monte de coisas diferentes. O elenco tem a participação do cantor e compositor Erasmo Carlos.

MEU VIZINHO TOTORO

de Hayao Miyazaki, animação, 1988, 86 min

Terceiro longa-metragem do consagrado diretor Hayao Miyazaki, o filme conta a história de duas irmãs, Satsuki e Mei, que se mudam com o pai para uma área rural do Japão com o objetivo de ficar perto da mãe que está internada em um hospital. Lá, elas encontram uma pequena passagem no quintal da nova casa e conhecem Totoro, o espírito protetor da floresta, ao lado de quem as irmãs vivem várias aventuras.

PRINCESA MONONOKE

de Hayao Miyazaki, animação, 1997, 134 min

Um dos maiores clássicos do diretor Hayao Myiazaki, o filme levou 16 anos para ser finalizado, custou 23 milhões de dólares e por algum tempo foi a maior bilheteria da história do Japão. Esta obra-prima do anime conta a história do guerreiro Ashitaka, um jovem guerreiro que é amaldiçoado ao defender a sua aldeia de um demónio criado pela violência humana. Assim, ele viaja até uma outra aldeia na esperança de compreender a maldição que lhe fora posta, antes que esta o mate. Nestas terras se depara com a luta entre humanos e os deuses da floresta, e a princesa Mononoke, que fora criada por lobos. Juntos, os guerreiros fazem de tudo para terminar com a guerra.

NAUSICAA DO VALE DO VENTO

de Hayao Miyazaki, animação, 1984, 117 min

Mil anos após os 7 Dias de Fogo, um evento destrói a maior parte do ecossistema da Terra. A humanidade se esforça em sobreviver neste mundo em ruínas, divididos em pequenas populações e impérios. Isolados um dos outros pelo Mar da Corrupção, uma floresta com plantas e insetos gigantes. Tudo nesta floresta é tóxico, incluindo o ar. Nausicaä é a princesa do pequeno reino do Vale do Vento, que tenta compreender melhor estas florestas nocivas aos humanos, ao mesmo tempo que tenta salvar seu povo da ação belicosa dos reinos vizinhos.

+

Sessão comentada por Joaquim Monteiro e José Maia

Joaquim Monteiro - Psicólogo, filósofo, doutor em Estudos Budistas pela Universidade de Kamazawa, no Japão - país em que permaneceu por 18 anos. Foi professor desta Universidade e do Departamento de Língua Japonesa da Ishou University, em Taiwan. Sua produção intelectual está praticamente toda em japonês, abordando aspectos da história e da cultura japonesa e da filosofia budista.

José Maia - Diretor, produtor e animador. Trabalha há aproximadamente 30 anos na área audiovisual, atuando em cinema, televisão, publicidade e vídeo. Entre alguns dos seus principais trabalhos na área cinematográfica estão Wood & Stock – sexo, orégano e rock’n’roll e As Aventuras do Avião Vermelho.

SESSÃO ESPECIAL CINEMATERNA - BEBÊS

de Thomas Balmès, doc., 2010, 90 min

Quatro bebês de quatro países foram acompanhados desde o nascimento até o primeiro ano de vida. O documentário nos convida a viajar por quatro continentes e suas culturas distintas, Namíbia, Mongólia, Japão e EUA. A observação dos quatro bebês até seus primeiros passos revela não apenas os costumes diversificados dos ambientes que os acolhem para a vida, como tudo o que os une. Sua luta para conquistar o domínio do mundo ao redor e do próprio corpo. Captando os movimentos mais naturais e engraçados do primeiro estágio da jornada humana, o filme nos leva para uma viagem pela aventura que é ser humano.​

+

OS SKATISTAS, CAVALOS RAIO E O FANTASMA DA LUA

de Christiano Gomes e crianças da escola Baby House, ficção, 2012, 3 min

Dois skatistas saltam alto o bastante para atingir a lua e perturbar um fantasma que mora por lá.

CRIANÇA, A ALMA DO NEGÓCIO

de Estela Renner, doc., 2009, 45 min

O documentário apresenta os efeitos da publicidade no comportamento e nos valores das crianças brasileiras. Depoimentos de pais e filhos e entrevistas com especialistas da área, mostram como no Brasil a criança se tornou alvo preferencial da publicidade, através de mensagens que estimulam o consumo e falam diretamente com elas.

+

LUZ, CÂMERA, EDUCAÇÃO

de Felipe Diniz, 2012, 15 min

Registro documental que apresenta as atividades desenvolvidas pelo Programa de Alfabetização Audiovisual ao longo de 2012. Ação conjunta entre a Prefeitura de Porto Alegre (secretarias municipais da Cultura e da Educação) e a UFRGS, com financiamento do Programa Mais Educação da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação, o Programa de Alfabetização Audiovisual insere o trabalho com imagens no processo de aprendizagem, envolvendo alunos e professores da rede municipal de ensino em uma estimulante investigação em torno das possibilidades pedagógicas da experiência cinematográfica.

+

Sessão comentada por Elaine Milmann e Saraí Schmidt

Elaine Milmann - Psicopedagoga e mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora no curso de especialização da clínica interdisciplinar do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre e professora convidada da associação psicanalítica (APPOA). Terminou o mestrado em educação em 2003, pela linha de pesquisa ética, alteridade e linguagem na educação.

Saraí Schmidt - Comunicadora Social, professora titular da Universidade Feevale, docente do Mestrado Acadêmico em Processos e Manifestações Culturais e coordenadora do projeto de extensão Nosso Bairro em Pauta. Tem experiência como pesquisadora nas áreas de Comunicação e Educação, atuando principalmente nos temas juventude, infância e consumo.

BULLYING

de Lee Hirsch, ficção, 2011, 98 min

O bullying é a forma mais comum de violência entre as crianças nos Estados Unidos. Mais de 13 milhões de crianças norte-americana sofrem de bullying anualmente. O documentário traz estatísticas assustadoras para uma escala humana, propondo um olhar intimista e corajoso para a forma como o bullying atingiu a vida de cinco crianças norte-americanas e suas famílias.

+

Sessão comentada por Otávio Augusto Winck Nunes e Monja Isshin Havens

 

Otávio Augusto Winck Nunes - Psicanalista, mestre em Psicanálise e Psicopatologia.

Monja Isshin Havens - Monja Zen Budista treinada no mosteiro feminino Aichi Senmon Nisôdô, em Nagóia, Japão e nos Estados Unidos, no Zen Center de Los Angeles - Califórnia, e Zen Mountain Monastery – em Nova York. Orientadora da Comunidade Soto Zen do Sul. Formada em mediação de conflitos no Center for Conflict Resolution e Centinela Youth Services em Santa Monica - Los Angeles. É palestrante, blogueira e escritora. Ministrante da oficina Mediação de Conflitos para Crianças no CineCaramelo.

MUITO ALÉM DO PESO

de Estela Renner, doc., 2012, 84 min

O documentário discute porque 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria, o governo, os pais, as escolas e a publicidade. Com histórias reais e alarmantes, o filme promove uma discussão sobre a obesidade infantil no Brasil e no mundo. A equipe percorreu as cinco regiões do país, mergulhou em diferentes realidades sociais, e ouviu histórias de crianças, pais, professores e médicos que emocionam, chocam, informam e alertam sobre a obesidade. Recheado por dados numéricos, o filme constrói um painel amplo e reflexivo sobre a questão.

+

Sessão comentada por Elza de Mello

Nutróloga, chefe do ambulatório de Obesidade Infantil do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área da Medicina, com ênfase em Pediatria e Nutrologia, atuando principalmente nos seguintes temas: alergia alimentar, nutrição parenteral, nutrição infantil, obesidade, terapia nutricional.

O CONTADOR DE HISTÓRIAS

de Luiz Villaça, ficção, 2009, 110 min

Caçula de dez irmãos, Roberto, desde cedo demonstra seu talento especial para contar histórias. Aos seis anos é deixado pela mãe numa entidade assistencial, por acreditar que assim, estaria garantindo um futuro melhor para seu filho. A realidade na instituição é diferente do que se promovia na televisão e aos poucos, Roberto perde a esperança na vida. Aos treze anos, classificado como irrecuperável, passa a viver com uma pedagoga e pesquisadora francesa. O que surge entre os dois é uma relação de amizade e ternura, que transforma a descrença de Roberto em seu futuro e desafia a pedagoga a manter sua convicções. O filme questiona as políticas públicas assistenciais e mostra como o afeto pode transformar a realidade.

+

Sessão comentada por Gabriel de Andrade Junqueira Filho

Pedagogo, doutor em psicologia da educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Infantil e atuando principalmente nos seguintes temas: práticas pedagógicas, continuidade educativa entre educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, interdisciplinaridade, pesquisa com crianças, formação de professores.

Please reload

11 a 17 de junho - nas Escolas:

11/06 - Escola Municipal Martim Aranha

12/06 - Escola Estadual Genoveva da Costa Bernardes

12/06 - Escola Municipal Wenceslau Fontoura

12/06 - Escola Municipal Grande Oriente do RS

Oficinas:

(das 10h às 17h)

Animação em Flipbook com Lancast Mota

(cartunista, ilustrador, quadrinista e animador)

Desmistificar a animação através de uma técnica simples e barata, que dê ao aluno condições de fazer pequenas animações dentro da sua realidade.

Contação de Histórias com Ilaine Melo

(atriz e contadora de histórias)

Envolver os alunos no universo da narrativa oral, uma tradição milenar, levando-os a perceber que simples memórias podem virar histórias que encantam a todos.

Mediação de Conflitos para Crianças - Primeiros Passos com Monja Isshin Havens

(monja zen budista, palestrante, blogueira e escritora)

Possibilitar que crianças e jovens desenvolvam habilidades de comunicação (especialmente a "escuta ativa"),  e a capacidade de liderança e resolução de conflitos entre os colegas de classe.

Filmes

10h Cocórico, de Fernando Gomes

15h BRichos, de Paulo Munhoz

19h Exibição especial para alunos jovens e adultos:

SOU

de Andreia Vigo, doc., 2010, 26 min

Registro histórico-poético sobre a identidade afro-gaúcha, tendo como base a vida e a obra do poeta  gaúcho Oliveira Silveira (1941-2009), um dos idealizadores do Dia Nacional da Consciência Negra.

LUTZENBERGER: FOR EVER GAIA

de Frank Coe e Otto Guerra, doc., 2007, 52 min

O filme aborda a vida e obra do ecologista José Lutzenberger de forma lúdica ao mesmo tempo em que apresenta as principais ideias deste ativo pensador.

Please reload